Prefeito assina acordo para reajuste salarial dos servidores municipais
Servidores municipais terão 7% deaumento salarial e 10% de aumento no ticket alimentação
Na sexta-feira (6), o prefeito Edinardo Esquetini assinou acordo para reajuste dos salários dos servidores públicos municipais. De acordo com o documento, está definido reajuste salarial de 7%, o que corresponde 0,7% acima da inflação de 2016, além de 10% de reajuste no auxílio-alimentação e regularização do convênio para seguro de vida e acidentes pessoais. Participaram da reunião para assinatura do reajuste o prefeito, os secretários de governo, Ivan Serigato Jr., e da Fazenda, Clodoaldo Mello, o escriturário José Luiz de Jesus, além de membros do Sindicato dos Servidores, como o presidente e vereador Sebastião Freitas, o advogado João Sigri Filho, o diretor José Carlos da Silva e o tesoureiro Roberto Dias dos Santos.
Durante o mês de março, o Sindicato dos Servidores Municipais de Matão (SSMM) realizou assembleias para debater o reajuste salarial e outras medidas. No último encontro, feito no dia 28 do último mês, 149 servidores votaram a favor, aceitando a proposta de 7% de reajuste no salário e 10% no cartão-alimentação. O projeto de lei nº 33/2017 foi então enviado para a Câmara Municipal, sendo aprovado na última Sessão Ordinária.
Segundo José Luiz, o Executivo paga um seguro mensalmente para os funcionários. Porém, o mesmo havia vencido no final de agosto de 2016, sendo outra situação a ser regularizada. “Encaminhamos para a Câmara um projeto pedindo autorização para celebrar um novo convênio com o Sindicato, visando à formalização do seguro. O próximo passo agora será o plano médico, que também precisa ser revisto a partir de junho”, explica.
Na oportunidade, Esquetini destacou a importância deste acordo. “O funcionalismo merece muito mais. Porém, precisamos trabalhar dentro das reais condições e considerando as dificuldades econômicas da Prefeitura. Mesmo assim, é importante dizer que nosso reajuste foi um dos maiores da região e trará um impacto de R$ 7 milhões nos cofres públicos. Os 10% do ticket também aumentarão nossas despesas em R$ 752 mil. E ainda estamos resolvendo a questão do seguro, que está pendente desde o ano passado”, completa o prefeito.