Prefeitura de Matão está construindo galpão de triagem.

Construção do galpão cumpre convênio firmado com o Fundo Estadual de Recursos Hídricos.
Um novo barracão, com área total de 280 m² e localizado no Distrito Industrial de Toriba.

Este é o galpão de triagem de materiais recicláveis, que está sendo construído pela Prefeitura de Matão por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Saneamento.

O galpão tem em vista o cumprimento do que está previsto no convênio com o Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), pelo qual três equipamentos públicos precisam ser entregues, sendo eles dois PEVs (Ponto de Entrega Voluntária) e o galpão de triagem.

O primeiro PEV, localizado no Jardim Paraíso, foi inaugurado no mês de março, enquanto o segundo está em fase final de ajustes e deve ser inaugurado ainda em maio na Vila Cardim, ao lado do CAIC.

O galpão de triagem compreende o terceiro dispositivo, sendo reservado ao recebimento de materiais recicláveis entregues nos PEVs (papel, plástico, metal, vidro e lixo eletrônico), que serão separados e prensados para a destinação correta.

A operação deverá ser realizada por uma cooperativa, que fará todo o trabalho de recolhimento dos materiais dos PEVs, além do recolhimento na cidade e nos bairros onde for instituída a coleta seletiva.

Dentre as diretivas para a certificação de Matão como Município VerdeAzul, está o tratamento e a destinação final dos resíduos sólidos, que são todos os tipos de materiais jogados no lixo, nos aterros, os entulhos de construção civil, as podas e galhos de árvores.

O galpão receberá então todos esses materiais, colaborando com o reaproveitamento e com a redução do lixo descartado indevidamente.

O secretário da pasta, Marcos Nascimento (Marquinho), explica que a construção ainda está em fase inicial. Foram feitas as fundações e, agora, as paredes começarão a serem erguidas. “Este galpão propiciará uma estrutura adequada para separação de materiais recicláveis e estará dotado de equipamentos como esteiras e prensas para separação e compactação de todos os resíduos.

Hoje, não temos um espaço adequado e a cooperativa que mantém parceria com o município está trabalhando em um local improvisado, que possibilita reciclar muito pouco do total de material deste tipo gerado na cidade”.

A lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), trata dos problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos. Esse dispositivo legal delegou às cidades brasileiras a responsabilidade de acabar com seus lixões até agosto de 2014 para que pudessem organizar a coleta seletiva, instalar usinas de reciclagem e depositar o material orgânico em aterros sanitários. Contudo, muitos municípios não cumpriram a legislação, inclusive Matão.

Marquinhos ressalta ainda que a construção do galpão é mais um passo no cumprimento da PNRS e que a infraestrutura garantirá melhorias também para os coletores de materiais recicláveis. “Estamos cumprindo uma exigência legal, que no passado não foi resolvida e pode comprometer muito a cidade, inclusive no que tange às multas decorrentes da não adequação ao que prevê a lei.

Acreditamos que até o mês de outubro poderemos contar com o galpão. E, além disso, o trabalho deverá ser feito por pessoas que hoje vivem da coleta de materiais recicláveis em Matão. Elas serão integrantes da cooperativa que terá parceria com o município”.